Um alerta da ANVISA sobre alguns suplementos no Brasil

Há algumas semanas a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) publicou um alerta sobre a comercialização de diversos suplementos. O que há em comum nesses suplementos é a presença da DMAA, a 1,3-dimetilamina. Essa substância seria originada do gerânio, uma planta ornamental, e teria propriedade de otimizar a perda de peso. A mesma ANVISA que tempo atrás proibiu a comercialização da creatina, sofre agora com uma série de protestos virtuais a respeito de mais esse veto. O que merece algumas linhas do Evidência Saúde.

A DMAA é, originalmente um descongestionante nasal criado na década antes da metade do século passado, e é o componente proibido pela ANVISA, que compõe o Oxielite Pro, Jack3D (ver discussão no ES sobre o Jack 3D) e Lipo-6 Black. Esses são suplementos utilizados com fins de emagrecimento ou perda de gordura, ou logo antes de uma sessão de treino para, entre outros fatores, aumento da disposição durante os exercícios.

Ao que parece pelo menos dois casos de mortes no exército dos EUA foram ligados a algum desses suplementos. Uma série de casos também explorou o uso de DMMA e hemorragias cerebrais.
A origem natural do componente, também tem sido questionada em outro estudo, visto que o DMMA está causando falsos-positivos na busca por anfetaminas na amostra de urina das pessoas.

Aprofundando as investigações, um estudo demonstrou ausência de DMMA em amostras de extratos de gerânio de diferentes origens geográficas. Ou seja, sugere-se que o consta nos suplementos se trata de uma substância sintética, a qual seria identificada como anfetamina em análise de cromatografia.

A suplementação é uma área valiosa na prevenção e no tratamento de condições de saúde. Ainda pouco explorada e que até mesmo sofre do preconceito de profissionais da saúde que deveriam entender mais do assunto, que não é simples e é perigoso. Porém, ainda que a ANVISA tenha falhado em proibir a creatina, e criou naquele episódio uma desconfiança generalizada do seu real conhecimento e procedimentos, devemos lembrar que estamos tratando com uma indústria poderosa, que está até mesmo fora do alcance do orgão norte-americano de controle de alimentos. Então, o alerta da ANVISA é válido e devemos ter cuidado, pois nessa área os erros podem ser fatais.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.