Respondendo uma ótima pergunta sobre diabetes

Respondendo uma ótima pergunta sobre diabetes

Olá!
Primeiramente gostaria de agradecer ao colega Lopez por ter trazido uma questão MUITO relevante como essa para a discussão de diabetes tipo 1 no ES.
Obrigado!

Pergunta_diabetes

Infelizmente ainda não temos evidências de que o exercício físico possa auxiliar no controle glicêmico de pacientes com diabetes tipo 1.

Lembro aos leitores que o simples fato da pessoa fazer uso de insulina não caracteriza ela sendo Tipo 1, pois Tipo 2 mal controlado (descompensado) também o faz.

Mas direcionando ao diabetes tipo 1, podemos “apenas” dizer que o exercício pode aumentar a sobrevida, bem como, melhorar a qualidade de vida nessa população. Isso deve ser dito a sua aluna pois a promessa que o exercício vai regular os níveis de glicemia pode não se concretizar e seu trabalho passar por ineficiente.

A dificuldade em controlar a glicemia em DM 1 decorre de um conjunto de fatores como, doses e tipo de insulina, temperatura ambiente, estresse, infecções, alimentação e muitos outras variáveis.

Assim, levando em consideração a idade da sua aluna eu sugiro que converse com ela:
– Se tem o hábito de verificar a glicemia capilar;
– Quais os valores da glicemia em outros momentos que não antes do exercício;
– Se aplica a insulina na hora e na dose recomendada;
– Qual o valor da hemoglobina glicada (HbA1c), pois essa vai trazer para você como está o controle glicêmico da sua aluna nos últimos três meses;
– Se segue a dieta recomendada pela nutricionista. Essa precisa ser rigorosamente respeitada pois a dose da insulina em pessoas com idade mais avançada geralmente são fixas e qualquer mudança na alimentação pode levar a níveis indesejáveis nos exames.
Qualquer descuido em uma das questões acima pode comprometer os exames clínicos da sua aluna.

Pode ter a certeza que o exercício físico, no caso do paciente com DM1, não deve ser seu ponto primário de preocupação e sim a rotina diária da sua aluna.

Muitas vezes um caderninho para auxiliar a sua aluna nas questões acima pode ser necessário e com certeza valorizará seu trabalho e resultados.

Fico à disposição para sanar mais alguma dúvida.
Grande abraço e parabéns!

Profissional de Educação Física graduado pela Universidade Feevale (2008). Mestrado em Ciências da Saúde: Cardiologia e Ciências Cardiovasculares pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS (2013). Atualmente é doutorando em Cardiologia do Instituto de Cardiologia / Fundação Universitária de Cardiologia - IC/FUC do Rio Grande do Sul (2015). Antropometrista (Nível 2) certificado pela International Society for the Advancement of Kinanthropometry (ISAK). Pesquisador do Laboratório de Intervenção Clínica - LIC do IC/FUC tendo experiência em Exercício Físico, Fisiopatologia do Exercício, Antropometria e Composição Corporal. Colaborador no livro intitulado “Nutrição e Atividade física: do adulto saudável às doenças crônicas” pela editora Atheneu (2015). Autor de artigos internacionais envolvendo exercício físico em populações com riscos cardiovasculares.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *