Musculação antes ou depois do aeróbio em pessoas com diabetes tipo 1?

Musculação antes ou depois do aeróbio em pessoas com diabetes tipo 1?

Vai aí a dica GW/ES!

Trago a vocês o artigo intitulado “Effects of Performing Resistance Exercise Before Versus After Aerobic Exercise on Glycemia in Type 1 Diabetes” publicado pela Dra Jane E. Yardley e seus colegas da Universidade de Ottawa no Canadá. O estudo foi publicado em uma revista de renome na área do diabetes (Diabetes Care) no ano de 2012 e pode esclarecer muitas das dúvidas referentes à resposta glicêmica de pessoas com diabetes tipo 1 durante a sessão de exercício aeróbico, bem como, da sessão de exercício resistido (força ou musculação). Outro dado muito importante e esclarecido no estudo é a resposta glicêmica frente à ordem dos exercícios quando combinado a atividade aeróbica e resistida na mesma sessão (combinado ou concorrente). Esses dados se fazem importantes tendo em vista que dependendo do valor de glicemia capilar apresentado pelo aluno antes da atividade a escolha do exercício e/ou da ordem do mesmo pode induzir ou prevenir uma hipoglicemia. E aí? Aeróbico + Resistido ou Resistido + Aeróbico?

Ajudinha com a tabela:

O artigo (acesse aqui) demonstra  (gráfico 1), na parte onde está com o título “Exercise 1″ e abaixo “time 0 – 45 minutes”, os níveis de glicose sanguínea de pacientes com diabetes tipo 1 durante o exercício aeróbico (círculos brancos) e resistido (círculos pretos). Podemos observar no mesmo gráfico, seguindo o tempo do “0 – 90 minutes”, os níveis de glicose sanguínea combinando ambos os exercícios, porém, modificando apenas a ordem (aeróbico + resistido, linha com bolinhas brancas ou resistido + aeróbico, linha com bolinhas pretas). Outro dado interessante é a resposta glicêmica após a sessão de exercício combinado (Recovery) que pode ser observado seguindo o tempo “90 – 150 minutes”. Os dados descritos no artigo possibilitam ao profissional de Educação Física estruturar a sessão de exercício “combinado” de maneira a atenuar nesta população a hipoglicemia induzida pelo exercício. 

Diabetes

Resumindo os resultados:

Os resultados sugerem que o indivíduo com diabetes tipo 1 que realiza exercício resistido e aeróbico (combinado) em intensidade moderada deve realizar o exercício resistido primeiro se ele(a) tende a desenvolver hipoglicemia associado ao exercício, pois isso pode atenuar o declínio nos níveis de glicose durante o exercício aeróbico subsequente. Esta ordem de exercício pode levar a uma menor dependência de suplementação de glicose durante o exercício e também diminuir o potencial de hipoglicemia noturna. Por outro lado, os indivíduos que tem hiperglicemia associada ao exercício podem realizar o exercício aeróbico antes do treino resistido. Ambas as abordagens ainda devem ser acompanhadas de uma monitorização cuidadosa dos níveis de glicose no sangue, durante e após o exercício.

Dica prática:

  • Anamnese: questionar questões referente a frequência nas consultas médicas, tipo de insulina, alimentação e patologias associadas ao diabetes são de extrema importância para o manejo seguro do aluno com diabetes tipo 1;
  • Observe se seu aluno está dirigindo: hipoglicemia pode proporcionar um acidente grave no trânsito;
  • Verifique a glicemia capilar sempre antes e durante a sessão: hipoglicemia durante o exercício pode levar a quedas e/ou lesões;
  •  Tenha sempre alguma fonte de carboidrato em mãos: ingestão de carboidrato pode ser necessária durante o exercício para evitar interrupção da atividade.

Boa leitura!!!
Grande abraço pessoal e fico a disposição para maiores esclarecimentos.

Profissional de Educação Física graduado pela Universidade Feevale (2008). Mestrado em Ciências da Saúde: Cardiologia e Ciências Cardiovasculares pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS (2013). Atualmente é doutorando em Cardiologia do Instituto de Cardiologia / Fundação Universitária de Cardiologia - IC/FUC do Rio Grande do Sul (2015). Antropometrista (Nível 2) certificado pela International Society for the Advancement of Kinanthropometry (ISAK). Pesquisador do Laboratório de Intervenção Clínica - LIC do IC/FUC tendo experiência em Exercício Físico, Fisiopatologia do Exercício, Antropometria e Composição Corporal. Colaborador no livro intitulado “Nutrição e Atividade física: do adulto saudável às doenças crônicas” pela editora Atheneu (2015). Autor de artigos internacionais envolvendo exercício físico em populações com riscos cardiovasculares.

2 Comentários

  • Olá, Professor Gustavo Waclawovsky! Estou orientando uma aluna (cliente) com 59 anos e portadora de Diabetes tipo 1, há dois meses. E recentemente sua glicemia em jejum e pré-exercício está em torno de 220 -230 mg/dl. Existe alguma relação com o exercício ou má alimentação? Pois esperávamos que a glicemia pudesse baixar com efeito crônico do exercício, uma vez que a dieta foi mantida.

    Lopez Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *