Uma sessão semanal de musculação e benefícios musculares em idosos

Uma sessão semanal de musculação e benefícios musculares em idosos

Is Once-Weekly Resistance Training Enough to Prevent Sarcopenia?

Sousa et al. Journal of the American Geriatrics Society, 2013.

Qual o problema e o que se sabe a respeito até o momento?
O treinamento de força é um dos tratamentos para prevenir, desacelerar e mesmo controlar a perda de massa e força muscular relacionada ao envelhecimento. Essa condição, a Sarcopenia, está relacionada a menor capacidade funcional e possivelmente a menor qualidade e expectativa de vida.

Por que os pesquisadores fizeram esse estudo?
O ACSM recomenda o mínimo de duas sessões semanais desse treinamento para aquisição dos benefícios. Os pesquisadores investigaram se menos sessões de treino seriam capazes de melhorar a capacidade física dessa população e a composição corporal.

 

Quem foi estudado?
Foram estudados trinta e três homens idosos com idade média de 68 anos que não fumavam e nem apresentavam problemas de saúde.

Como foi feito o estudo?
O desenho do estudo caracterizou-se de um ensaio clínico randomizado controlado, onde 16 indivíduos foram alocados para o grupo de exercício, e 17 para o grupo controle. Foram realizados testes de força muscular e teste de bioimpedância tetrapolar para avaliar a composição corporal. O grupo de exercício realizou sete exercícios com três séries de 8-12 repetições com esforço máximo (com carga de 65 a 75% da carga máxima) por 32 semanas. O grupo controle permaneceu sem exercício físico.

Quais foram os achados?

Percentual de Gordura (%G): Redução de ~2,9% da 8ª para 32ª semana;

Força muscular: Aumento acumulativo e progressivo na força muscular com 31.5% na 8ª semana, 47% na 16ª semana, 61% na 24ª semana e 67% na 32ª semana.

Os resultados mostraram que uma única sessão de treino de força por semana foi suficiente para promover benefícios em força muscular e leve alteração da composição comporal em homens idosos.

Não houve alteração na massa livre de gordura, nem no peso corporal.

Quais as limitações do estudo?
Os testes de resistência muscular, com componente de força, não foi diferente em ambos grupos. Portanto, apesar do aumento de 1RM, não houve maior capacidade física para resistência muscular localizada.

O %G foi significativo apenas em relação à 8ª semana, na qual parece ter havido um leve aumento do %G no grupo treinado. Informações a respeito do % da massa livre de gordura (“massa magra”) facilitariam ao leitor comparar com as variações percentuais de gordura corporal.

Por fim, o estudo aborda sarcopenia, mas não demonstra evidências de perda muscular nos indivíduos estudados. Para inferir prevenção de sarcopenia seria necessário um tempo maior de estudo ou uma notável redução de massa muscular no grupo controle.

Quais as implicações do estudo?
Esse estudo demonstra aumento na força muscular, composição corporal e na aptidão funcional de idosos com apenas uma sessão semanal de treino de força. Esses achados podem ser utilizados na prescrição do exercício físico com eficácia além de facilitar a adesão com melhoras significativas em adaptações musculares e funcionais do idoso.

Clique aqui e RECEBA o artigo original   

Licenciado pleno em Educação Física - Faculdade Salesiana de Vitória (2005). Pós Graduado em Fisiologia e Cinesiologia do Exercício e Saúde - Universidade Gama Filho (2008). Mestrado em Educação Física vinculado à linha de pesquisa: Aspectos fisiológicos agudos e crônicos do movimento corporal humano. LAFEX - Laboratório de Fisiologia do Exercício - UFES - Universidade Federal do Espírito Santo (2016). Professor de Educação Física estatutário atuando em Unidades de Saúde no município de Serra - ES. Área de interesse: Treinamento intervalado de alta intensidade, Treinamento aeróbio contínuo, Consumo máximo de oxigênio, Doenças cardiometabólicas, Limares metabólicos e ventilatórios, Bioenergética.