Pressão arterial após o exercício: respostas da MAPA e mecanismos em idosos

Pressão arterial após o exercício: respostas da MAPA e mecanismos em idosos

Postexercise bood pressure reduction in elderly hypertensive patients

Brandão Rondon MU, Alves MJ, Braga AM, Teixeira OT, Barreto AC, Krieger EM, Negrão CE.
Journal of The American College of Cardiology 2002

Qual o problema e o que se sabe a respeito até o momento?
A redução da pressão arterial (PA) após uma única sessão de exercício está bem caracterizada e é denominada de hipotensão pós-exercício. Isto pode ocorrer por ajuste vasculares ou centrais, porém, o mecanismo em idosos não estava claro.  Além disso, havia poucas evidências com o efeito ambulatorial (22 ou 24 horas) de uma sessão de exercício.

Por que os pesquisadores realizaram o estudo?
Idosos possuem maior incidência de hipertensão arterial e doença cardiovascular. Por outro lado, uma única sessão de exercício pode beneficiar variáveis cardiovasculares, sendo importante estabelecer benefícios clínicos e mecanismos associados nessa população.

Quem foi estudado?
O grupo brasileiro liderado pelo Dr. Carlos Eduardo Negrão (USP) estudou 2 grupos de idosos: (a) 24 idosos hipertensos; e (b) 18 indivíduos controles. Os participantes foram homens e mulheres que não estavam em terapia farmacológica e não realizavam exercício físico regularmente.

Como foi feito o estudo?
O estudo envolveu 2 sessões: (a) exercício aeróbico em bicicleta, em aproximadamente 50% do consumo máximo de oxigênio, com duração de 45 minutos na fase principal de exercício; e (b) sessão controle, na qual os participantes permaneceram sentados durante tempo idêntico ao da sessão de exercício.

As avaliações foram feitas em 3 protocolos distintos. No protocolo 1, os indivíduos foram avaliados através da técnica de reinalação de CO2 para mensuração de débito cardíaco e resistência vascular total durante 90 minutos após as sessões. No protocolo 2, ecocardiografia foi realizada para determinação da função do ventrículo esquerdo antes e 30 minutos após as sessões. No protocolo 3, os indivíduos recebiam o aparelho de monitorização ambulatorial da PA (MAPA), para a análise de 22 horas após as intervenções.

Quais foram os achados?
Nos idosos hipertensos, uma única sessão de exercício aeróbico reduziu a PA sistólica e PA diastólica por até 22 horas, em comparação à sessão controle (efeito intra-grupo).

No prazo de 90 minutos após o exercício (análise de mecanismos), o débito cardíaco, volume sistólico e volume diastólico final do ventrículo esquerdo estiveram reduzidos nos hipertensos.

Quais as limitações do estudo?
Pacientes em uso de medicamentos não foram incluídos, limitando a extrapolação dos achados. Não é possível definir se os hipertensos não estavam em esquema terapêutico, ou se houve somente retirada para o estudo (justificável devido à avaliação de mecanismos).

Um aspecto não-metodológico, que pode ter ocorrido por preferência dos autores ou dos editores da revista, é que as respostas da PA são demonstradas somente em gráficos. Assim, não há informação objetiva da variação da PA nos períodos de análise.

Quais as implicações do estudo?
Uma única sessão de exercício aeróbico pode reduzir a PA de idosos hipertensos por até 22 horas.  Além disso, através do trabalho é possível conhecer que tais respostas são mediadas – pelo menos no curto prazo – por uma resposta central, com redução do débito cardíaco.

Para acessar o artigo, clique aqui.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.