Você conhece o PAI -1?

Você conhece o PAI -1?

PAI -1 (Inibidor do ativador de plasminogênio tipo 1) é uma serpina protease que contribui ao controle da coagulação sanguínea. Essa substância é secretada em diferentes tecidos como: endotélio vascular, fígado e em grande quantidade pelo tecido adiposo, especialmente o tecido adiposo visceral. Uma elevada atividade e concentração de PAI – 1 reduz a atividade fibrinolítica, o que associa-se ao aumento no risco de doenças cardiovasculares1,4.

Considerada também uma citocina pró-inflamatória, inclusive com associação ao TNF-alfa e IL-6, o PAI-1 possui associação com variáveis clínicas e funcionais, como por exemplo, mostrando correlação inversa com o VO2máx (capacidade máxima que o organismo tem em captar o oxigênio do ar, transportar e utilizar nos músculos), e correlação positiva com a resistência à insulina (pré-diabetes), níveis de colesterol e triglicerídeos. Mais importante, um equilíbrio entre o t-PA (Ativador de plasminogênio tecidual) e o PAI-1 são necessários para o processo de coagulação sanguínea a fim de adequados níveis de coagulação1,3. Um desequilíbrio entre estes ou outros fatores hemostáticos facilita o desenvolvimento de aterosclerose e formação de trombos. Alguns medicamentos como estatinas (controle do colesterol) e a metformina (controle da glicemia) parecem contribuir para o ajuste das concentrações de PAI-14.

A gestação é outro estado de interesse para a complexa interação metabólica e enzimática presente no processo de coagulação. Nesse cenário, o PAI-1 está associado a abortos de repetição. Isso ocorre em especial quando relacionados a indivíduos com polimorfismo do alelo 4G/4G, o qual parece responder em até 47% de aumento do PAI-1 quando comparado a outros alelos (4G/5G e 5G/5G)2,4. Resumidamente, ao reduzir a fibrinólise, a ação do PAI-1 pode causar trombose e induzir à insuficiência placentária, impedindo o desenvolvimento fetal4.

PAI-1 e Exercício Físico

Estão bem estabelecidos os diferentes benefícios do exercício físico regular em diferentes parâmetros de saúde, principalmente na redução da atividade de citocinas pró-inflamatórias bem como um aumento nas citocinas anti-inflamatórias. Cabe salientar que o PAI-1 é principalmente produzido pelo endotélio, e o exercício físico promove benefícios importantes e consistentes sobre a função endotelial. Adicionalmente, estudos que avaliaram os efeitos do exercício regular em processos hemostáticos demonstram um efeito regulador positivo3.

Um grupo de pesquisadores finlandeses produziu um ensaio clínico randomizado longitudinal com 3 anos de seguimento. O objetivo do estudo foi avaliar os efeitos do exercício físico regular nos alelos 4G/5G promotores do gene do PAI-1. Participaram do estudo 212 homens com idades entre 50 e 60 anos que foram avaliados no início, 12 meses e 30 meses após. Foram avaliados triglicerídeos, insulina e PAI-1, além de serem avaliados para identificação dos alelos (4G/4G, 5G/5G e 4G/5G). Apenas 140 homens participaram das análises até o final do estudo. Após realizarem o teste cardiopulmonar, foram identificados os limiares ventilatórios 1 e 2 e os grupos foram divididos aleatoriamente em dois grupos (intervenção e grupo controle).

O grupo intervenção realizou exercício aeróbio contínuo na intensidade do limiar ventilatório 1 (40 a 60% do VO2max) 5x/semana por 1h.
Como esperado, o grupo intervenção aumentou em 8,8 e 5,9% o limiar 1 e 2 respectivamente.
Apenas o grupo com o alelo 4G/4G reduziu em 36% o PAI-1. Os níveis de triglicerídeos foram reduzidos em ~10 mg/dL em todos os alelos.
Os pesquisadores concluíram que o exercício regular realizado na intensidade do limiar 1 mostrou-se benéfico na redução do PAI-1 apenas no grupo com alelo 4G/4G (36% de redução)1.

Algumas lacunas nos estudos de PAI-1 e exercício físico ainda precisam ser abordadas. Neste sentido, vale destacar que as amostras são compostas predominantemente por homens, e que diferentes, ao meu conhecimento, não há evidências volumosas sobre diferentes condições de exercício físico, como treino de força ou treinamento intervalado de alta intensidade.

Há outros estudos interessantes que abordam exercício físico e PAI-1 em populações clínicas como doença coronária2 e síndrome metabólica5. Em postagens futuras, pretendo apresentar essas informações.

Mensagem para levar para casa

Faça exercício físico regularmente e desfrute dos vastos benefícios. Está com dúvida de como realizar? Procure um profissional de Educação Física, que é o profissional que prescreve exercícios físicos.

 

Prof. Victor Hugo Gasparini Neto

 

Referências

1-Thromb Haemost 1999; 82: 1117–20
2- Med. Sci. Sports Exerc., Vol. 33, No. 2, 2001, pp. 214–219
3- Rev. bras. hematol. hemoter. 2005;27(3):213-220
4- Metabolism, Vol. 49, No. 7 (July), 2000: pp. 845-852
5- Journal of American Science 2010;6(12):1374-1380

Licenciado pleno em Educação Física - Faculdade Salesiana de Vitória (2005). Pós Graduado em Fisiologia e Cinesiologia do Exercício e Saúde - Universidade Gama Filho (2008). Mestrado em Educação Física vinculado à linha de pesquisa: Aspectos fisiológicos agudos e crônicos do movimento corporal humano. LAFEX - Laboratório de Fisiologia do Exercício - UFES - Universidade Federal do Espírito Santo (2016). Professor de Educação Física estatutário atuando em Unidades de Saúde no município de Serra - ES. Área de interesse: Treinamento intervalado de alta intensidade, Treinamento aeróbio contínuo, Consumo máximo de oxigênio, Doenças cardiometabólicas, Limares metabólicos e ventilatórios, Bioenergética.