Exercício intervalado ou um programa multifatorial em crianças obesas?

Exercício intervalado ou um programa multifatorial em crianças obesas?

Aerobic Interval Training Reduces Cardiovascular Risk Factors More Than Multitreatement Approach in Overweight Adolescents

Tjonna AE, Stolen TO., Bye A, Volden M, Slordahl SA, Odegard R, Skogvoll E, Wisloff U (2009). Clinical Science, 116: 317-26.

O que se sabe a respeito até o momento?

A obesidade severa eleva as chances de desenvolvimento de doenças tais como hipertensão arterial, diabetes tipo 2, colesterol e dislipidemia (triglicerídeos e/ou colesteróis alterados), além de influenciar em aterosclerose precoce. Crianças e jovens de diferentes países têm apresentado cada vez mais sobrepeso e obesidade.

Por que os pesquisadores fizeram esse estudo?

As opções de tratamento para esse nível de obesidade são limitadas e a maioria das abordagens utilizadas para perda de peso e emagrecimento em crianças e adolescentes mostra-se ineficaz.

Quem foi estudado?

Foram estudados adolescentes obesos com IMC médio de 33kg/m² e idade média de 14 anos.

Como foi feito o estudo?

Este ensaio clínico randomizado foi conduzido pelo grupo norueguês, liderado pelo Dr. Ulrik Wisllof. O estudo contou com duas intervenções: 1) o exercício intervalado de alta intensidade, método “4×4” a 90-95% da frequência cardíaca máxima, realizado 2 vezes por semana, e 2) um protocolo de abordagem multidisciplinar com intervenção de médico, psicólogo, fisioterapeuta e nutricionista, com exercício físico aeróbico contínuo, aconselhamento nutricional e psicológico.

Os dois grupos foram acompanhados diretamente por 3 meses, e após, seguiram com orientações para manterem suas atividades por 12 meses.

Quais foram os achados?

Apenas o grupo de exercício intervalado reduziu o índice de massa corporal (- 1,8kg/m²), percentual de gordura (- 2%), e massa de gordura (- 2,4kg). A massa magra corporal aumentou em ambos grupos (1,8 a 2kg).

Outras variáveis:

Pressão arterial (PA): redução de 9,4 mmHg no grupo intervalado e 2,5 mmHg no grupo de abordagem multidisciplinar para a PA sistólica. Na PA diastólica, houve redução de 5,5 mmHg apenas no grupo intervalado de alta intensidade.

Consumo máximo de oxigênio (VO2max): aumento de aproximadamente 3 ml/kg/min (9%) no grupo de exercício intervalado.

Controle glicêmico: ambos os grupos reduziram de forma similar os níveis de hemoglobina glicada após os três meses de intervenção. Tais benefícios foram perdidos no seguimento de 12 meses.

Quais as limitações do estudo?

A ausência de grupo controle é a principal limitação. Além disso, o curto tempo de intervenção (3 meses) pode enviesar o estudo para que a intervenção mais intensa promova efeitos em determinadas variáveis que precisariam de mais tempo para serem modificadas com a intervenção de exercício moderado.

Quais as implicações do estudo?

Em 3 meses de treinamento em adolescentes obesos, há benefícios exclusivos do treinamento intervalado de alta intensidade em composição corporal, pressão arterial e consumo de oxigênio. Para o controle metabólico, indicado por variáveis relacionadas com a sensibilidade à insulina, as duas intervenções propostas induzem benefícios.

Para acessar o estudo original, clique aqui.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.